Pelos olhos de Manoel

Com ambientação cenográfica criada pela TG3 e adereços elaborados pelos artistas Néia Pereira e Ricardo Valzoni, a biblioteca da Unidade Sesc Santo Amaro recebe uma pequena amostra da obra do poeta cuiabano Manoel de Barros. Este espaço retrata as coisas que, para o poeta, caberiam na poesia: “todas as coisas cujos valores podem ser disputados no cuspe à distância servem para poesia”. Neste clima, misturando a natureza a valores do homem e a outras coisas “desúteis”, Manoel de Barros desfia uma porção de palavras e ideias inusitadas, provando que todas, de fato, “servem para poesia”.